Make your own free website on Tripod.com

“The mountain does not speak ill of the river because it is lowly nor does the river speak ill of the mountain because it does not move.”
-Morihei Ueshiba’s answer to which was the best martial-art

Palavras Do Doshu Kishomaru Ueshiba

Estas são palavras extraídas de seus livros e discursos e são essenciais para que visualizemos o caminho a ser trilhado.

A recente expansão do Aikidô em uma escala mundial, é algo fenomenal. A população total aikidoísta atinge mais de 1 milhão e a Federação Internacional de Aikidô está crescendo mais do que nunca. A razão para este fato reside no próprio Aikidô, que expressa na teoria e na prática a mais alta forma de arte marcial que envolve o espírito e a estética que a Cultura Japonesa produziu. O Aikidô expressa a última realidade, o fluxo de movimentos espontâneos da natureza que são combinados com o poder do Ki. Seu ideal é a formação do princípio humano da unificação do corpo com a mente, que é realizado através de vigoroso treinamento físico e mental, e a percepção de dinâmica da vida seja na atividade ou na alma, no repouso. A espiritualidade de seus princípios fundamentais, e na racionalidade de sua execução são o coração de seu renomado conceito em níveis internacionais.

Acompanhando o desenvolvimento dramático da ciência, tecnologia e civilização material nos tempos modernos está o agravamento das condições do espírito humano, que experimenta a inquietude, a insegurança, e a perda de direção. Isto tudo é potencializado pela ameaça de um holocausto nuclear; a Humanidade hoje está diante de um desastre global eminente.

Nesta era de desumanização racial, o Aikidô representa uma atração especial. Especialmente apelando para o fato de que cada pessoa, independentemente da idade, sexo, ou condição atlética, pode realizar através da prática da arte a unificação do princípio criativo fundamental, "KI", que permeia o Universo, e o "Ki" individual, manifestado no Kokyu. Esta unificação é fonte da energia vital, que não somente preenche o vácuo espiritual, mas fornece ao processo vital a necessária substância e significado.

As artes marciais japonesas foram inspiradas originalmente pelo ideal de vitória nos campos de batalhas. Mas as vitórias tem vida curta; elas passam rapidamente e desaparecem. Pode-se exultar na batalha que se ganhou, mas isto nunca é a verdadeira vitória. Portanto, uma contradição existia quando alguém se dedicava toda a vida treinando vigorosamente em um objetivo que seria algum dia frustrado.

Esta contradição foi resolvida pela formação do BUDO (O Caminho das Artes Marciais), e seu mais moderno expoente, o AIKIDÔ. O Aikidô ensina o caminho de realizar a vitória absoluta baseada no filosofia da não competição. Não competição significando retirar o instinto combativo e agressivo, destrutivo de uma pessoa e transformá-lo em um poder de amor criativo e produtivo. Esta filosofia fica aparentemente muito difícil de ser ensinada através de uma arte marcial (que tem na opinião pública, o desejo de combate, e vitória), mas é a essência do BUDO.

Devido a rápida expansão do Aikidô no mundo todo, nos sentimos que este verdadeiro significado da arte não tem sido entendido e a prática não vem sendo feita muitas vezes convenientemente. Desta maneira, da mesma forma que recebemos com júbilo a internacionalização do Aikidô, se esta expansão não preserva a filosofia básica e os ideais do fundador, Morihei Ueshida, ela seria reprovável. Pôr esta razão, nos sentimos um forte senso de responsabilidade, e nós estamos constantemente trabalhando para melhorar a situação. KISHOMARU UESHIDA - Filho do fundador (Prefácio se seu livro "Aikidô-no-Kokoromo")

As técnicas de Aikidô empregam movimentos circulares no lugar de lineares, com a pessoa que se defende movendo-se fora da linha de ataque e usando o próprio impulso do atacante para ajudar a sobrepujá-lo. O aikidoísta não tenta bloquear o ímpede do adversário ou ir contra mesmo, chocando-se com a sua força. Muito pelo contrário, o aikidoísta "libera" a força do oponente bem como sua mente, sua intenção. Desta maneira, é essencial ao estudo o aprendizado da percepção da direção do ataque para poder, em primeira instância evitá-lo e em seguida usá-lo em seu favor. Esta é a razão pelo qual é impossível aprender Aikidô sem praticar com outra pessoa, e porque deve existir uma harmonia entre as pessoas que estejam aprendendo Aikidô juntas. O estudante deve aprender a compreender seu oponente, senti-lo e até que não seja capaz de desenvolver este sentimento não poderá "liberar" a mente do atacante e conseqüentemente, sua força agressiva.

Não existem competições em Aikidô ou força bruta, nem tampouco se empregam golpes traumáticos, ou técnicas para quebrar ossos, ou articulações. Para ilustrar: No Aikidô quando diversas técnicas de articulações são empregadas, as mesmas são dobradas sempre na direção natural, provocando um alongamento muscular e jamais no sentido contrário a seu movimento articular. Na minha opinião, as técnicas de articulações do Aikidô, na verdade, não são nada mais do que exercícios. Para os principiantes elas parecem ser o "máximo" em termos de eficácia e devastadoras quando usadas contra o oponente. Na realidade, porém, elas são apenas métodos para fortalecer e preparar o indivíduo. A prática destas formas, educa e desenvolve o estudante, e quando ele atinge certo grau de domínio das mesmas, seu oponente eventual, não conseguirá encontrar uma falha em sua guarda onde possa atacar.

O Aikidô como foi desenvolvido pôr Morihei Ueshiba, não tem como seu objetivo principal derrotar ou machucar o adversário. Pelo contrário, as técnicas foram projetadas para remover a idéia agressiva do adversário através da ligação com sua força agressora de maneira que ela se volte contra ele próprio. Para praticar o Aikidô o parceiro deve usar alguma forma de ataque para que as técnicas defensivas possam ser aplicadas, porém a atitude mental que é cultivada durante a parte da arte é de um estado permanente de alerta, com o corpo totalmente relaxado, bem como o espírito. Também nenhum pensamento conflitante deve ser permitido para evitar que haja interferência na resposta imediata ao ataque. A atitude mental é muito importante, e o aikidoísta deve saber que se treinar o corpo é importante, a mente o é muito mais. Algumas pessoas se concentram apenas nos treinamentos físicos, mas é possível que se assim o fizerem e se forem algum dia atacados nas ruas pôr várias pessoas, que sejam incapazes de aplicar uma técnica comum, devido a confusão mental e "stress", que surgirá, falta exatamente deste treinamento espiritual. Somente pela constante disciplina da sua mente é que o praticante será possível de permanecer calmo diante de uma situação difícil e com condições de reagir convenientemente em um estado de alerta que os condicionem a mudar rapidamente de um atacante para outro.

Kishomaru Ueshiba
1900 - 1999

 

Grupo de Aikido Sudoeste - Cecan (Centro Educacional Candanguinho) - Setor Sudoeste - Brasília

Telefone para informações: 344-4220

Aikimail - ficou fácil se corresponder