Make your own free website on Tripod.com

Entrevista com Walther von Krenner

  Lendo o livro Training with the Master, fiquei muito impressionado com as fotografias que eu vi. As fotos mostravam O-Sensei, Morihei Ueshiba, fundador do Aikido. O fotógrafo era Walter von Krenner, um nome de evidente origem alemã. Como o livro havia sido publicado há apenas um ano, fiquei pensando se seria possível para mim contatá-lo. E - êi! - havia até mesmo um e-mail! Para minha alegria, ele não apenas concordou com uma entrevista, como me mandou algumas fotos e a permissão para usá-las na www.AIKI.de. Aos que desejarem maiores informações, queiram , por favor, ler a pequena biogtrafia de Walter von Krenner. A entrevista a seguir foi originalmente apresentada na língua inglêsa. Foi traduzida para o português por Ubaldo Alcântara. A versão original em inglês, bem como versões em alemão e em espanhol, estão igualmente disponíveis.

A ENTREVISTA

  PENSAVA-SE QUE GERD WISCHNEWSKI FOSSE O ÚNICO ALEMÃO QUE HAVIA ESTUDADO DIRETAMENTE COM O FUNDADOR, MORIHEI UESHIBA. PORQUE O SEU NOME É DESCONHECIDO NA ALEMANHA?

R: Vim para os Estados Unidos em 1960 e o Aikido era praticamente desconhecido fora do Japão e do Hawai. Embora eu tenha nascido na Alemanha, tornei-me um cidadão americano e quando viajei para o Japão para estudar, eu era considerado mais um americano que um alemão. Muito poucas pessoas me encaravam como um artista marcial alemão.

COMO VOCÊ SE VÊ? VOCÊ AINDA TEM FAMÍLIA OU CONTATOS NA ALEMANHA?

R: Tenho vivido nos Estados Unidos há mais de 40 anos e sou um cidadão americano. Após todo este tempo, creio que me vejo como um americano. Não tenho mais familiares na Alemanha, apenas alguns amigos alemães que me vem visitar, em meu rancho em Montana, de vez em quando.

VOCÊ CHEGOU A CONHECER GERD WISCHNEWSKI?

R: Ao que eu me lembre, nunca cheguei a encontrar com Gerd Wischnewski.

PELO QUE EU SEI, VOCÊ TINHA CÊRCA DE 20 ANOS, QUANDO DECIDIU DEIXAR A ALEMANHA. POSSO PERGUNTAR PORQUE VOCÊ TOMOU ESTA DECISÃO E QUE TIPO DE EXPERIÊNCIA FOI PARTICIPAR DE UMA OUTRA CULTURA?

R: É verdade, eu tinha 20 anos quando emigrei para os Estados Unidos. Eu não achava que a Alemanha pudesse me oferecer as mesmas oportunidades e a liberdade que este país tinha e hoje me sinto contente de ter tomado esta decisão bem cedo em minha vida. Alguns dos meus amigos alemães me dizem hoje que eles gostariam de ter tido a minha coragem e feito o mesmo.
O cenário marcial, principalmente no Judo e no Kendo, estava anos-luz à frente do treinamento em budo na Alemanha.

QUANDO E QUANTAS VEZES VOCÊ FOI AO JAPÃO PARA APRENDER AIKIDO ?

R: Eu treinava judo e kendo e começei a treinar Aikido em 1961, na Califórnia, com Takahashi Isao Sensei e Tohei Koichi Sensei. Conheci Ueshiba Kisshomaru, quando ele visitou os Estados Unidos e tive a oportunidade de treinar com ele, durante a sua estadia.
Em 1967, Takahashi Sensei me escreveu uma carta de introdução para O-Sensei e eu fui para o Japão. Comecei a treinar no Hombu Dojo, em Shinjuku, e fiquei lá até um pouco antes da morte de O-Sensei. Voltei ao Japão para estudos complementares em 1972/3 e novamente em 1975 e em 1994.

ONDE E COM QUEM VOCÊ ESTUDOU NAQUELAS ÉPOCAS?

R: Visitei Ueshiba Kisshomaru e vários outros dojo e estudei esgrima e caligrafia Shodo. Também me interessei pelo Daito-Ryu Aikijujutsu e viajei para Hokkaido, onde O-Sensei treinou com Takeda Sokaku. Visitei também o dojo de Takeda Tokimune. Pesquisei muito sobre a história do Aikido e visitei muitos dos locais históricos do Aikido e do Daito-Ryu.

COMO ERA SER UM UCHIDESHI NAQUELA ÉPOCA?

R: Não acredito que o termo uchideshi possa ser aplicado a nenhum aluno de O-Sensei após a 2ª Guerra Mundial. Uchideshi, para mim, indica um aprendizado no estilo antigo, onde o aprendiz nada mais fazia que viver com a família do mestre e estudar. Embora nós vivessemos em um pequeno apartamento, ao lado do dojo, a nossa relação com o dojo era diferente da antiga e tínhamos muito mais liberdade. De qualquer modo, eu não usaria o termo uchideshi para mim. É pretencioso e incorreto.

COMO ERA ENTÃO SER UM OCIDENTAL NO JAPÃO? COMO VOCÊ ERA TRATADO POR O-SENSEI E PELOS OUTROS?

R: Após aprender a falar, ler e escrever a língua, não era tão difícil. Os japoneses tratavam Gaijin(estrangeiros) muito bem e havia muito respeito e curiosidade naquele tempo. A memória de Hiroshima e Nagasaki ainda estava muito viva entre os japoneses mais velhos.
Haviam tantos japoneses querendo aprender inglês que muitos estudantes americanos podiam viver do ensino de inglês. O câmbio era de 360 Yen por 1 dollar e podia-se viver com 5 dólares por dia. O-Sensei se interessava muito pelo nosso progresso e estava sempre a falar sobre a construção de uma ponte de compreensão com o Ocidente. Ele queria que o Aikido criasse raízes na América e foi por isto que ele mandou Tohei Sensei para aqui, para implantar o Aikido. Por isto e pelo fato de que o Aikido já começara no Hawaii, a maioria dos estudantes estrangeiros era americana.

HÁ ALGUM TEMPO ATRÁS, NA LISTA DE AIKIDO EM LINGUA ALEMÃ, HOUVE UM DEBATE SOBRE SE NÃO-JAPONESES PODERIAM CHEGAR A "COMPREENDER REALMENTE" O AIKIDO. QUAL É A SUA OPINIÃO A RESPEITO?

R: Não entendo porque não-japoneses não poderiam "entender" o Aikido. Nada há de mágico ou misterioso com o povo japonês. Fora algumas diferenças culturais implantadas, eles são pessoas iguais a nós. Com treinamento idêntico, resultados idênticos deverão ser obtidos. Alguns japoneses espalharam esta idéia estúpida de que apenas japoneses poderiam compreender o "significado profundo" do Aikido, ou do Budismo ou de sei lá o que. Pessoas assim manifestam insegurança e são ignorantes ao suporem que, por causa da raça, seriam especiais ou melhores. Isto seria como dizer que os japoneses jamais poderiam compreender a tecnologia ocidental, o que é igualmente estúpido. Nem todos os japoneses são também artistas marciais brilhantes. Eu mesmo encontrei alguns bem ruinzinhos. O Aikido não é para todos, mas todos que treinam com sinceridade, podem atingir uma compreensão pelo menos ao seu nível, japonêses ou não.

EXISTEM OUTROS ESTUDANTES NÃO-JAPONESES DE O-SENSEI DOS QUAIS VOCÊ SE LEMBRA, NO SEU TEMPO NO HOMBU DOJO?

R: Me lembro de muitos estudantes não-japoneses daquele tempo, como Terry Dobson, etc..., mas não consigo me lembrar do nome de todos, já faz muito tempo.

AO QUE EU SEI, VOCÊ ESTUDAVA OUTRAS ARTES MARCIAIS ANTES DO AIKIDO. VOCÊ PODE CONTAR AOS NOSSOS LEITORES, POR FAVOR, COMO VOCÊ TEVE CONTATO COM O AIKIDO E ACABOU PERMANECENDO NELE?

R: Como eu disse antes, eu começei no Judo, treinando com Harold Sharp; Kendo e Iaido, com Miyahara Sr. e Mori Sensei; e um pouco de Karate, com Nishiyama Sensei. Eu também praticava Yanagi Ryu Jujutsu com Don Angier e fizemos muitas apresentações com espadas reais. Foi então que eu conheci o Aikido, o qual era uma coisa totalmente nova nos Estados Unidos naquela época. Após assistir a uma demonstração, decidi abandonar o judo e aprender Aikido.

QUEM FORAM OS SEUS PROFESSORES NO AIKIDO E COMO VOCÊ CHEGOU A O-SENSEI?

R: Meus professores de Aikido foram Takahashi Isao, Tohei Koichi, Ueshiba Kisshomaru, Ueshiba Morihei, Suzuki, Yoshioka e Aoyagi Sensei, nesta ordem.

QUAL DOS SEUS PROFESSORES MAIS O MARCOU OU QUE MAIS O INFLUENCIOU NA SUA MANEIRA DE PRATICAR HOJE EM DIA?

R: Takahashi Isao Sensei foi o meu primeiro professor. Jamais esquecerei a sua paciência e bondade. Tohei Koichi Sensei me ensinou excelentes waza básicos e me deu uma compreensão do Aikido que ainda me é útil hoje em dia. Ueshiba Kisshomaru era um grande professor e técnico. Aprendi muito com ele e O-Sensei despertou o meu interesse pela parte espiritual do Aikido e pelo Kotodama. Creio que o meu Aikido é o produto de todos esses professores.

POR GENTILEZA, SERIA POSSÍVEL DESCREVER O SEU ESTILO DE AIKIDO?

R: Não. O que posso dizer é que se trata do velho estilo tradicional, mais próximo do Daito-Ryu que o Aikido "Nova Era" e permanentemente mutável, no espírito do Takemusu de O-Sensei. Não existem dois waza iguais, porque não existem duas situações exatamente iguais. Isto é Tai no Henka, mutação constante e adaptação às circunstâncias.

QUAL A IDADE DE O-SENSEI QUANDO VOCÊ ESTUDOU COM ELE?

R: O-Sensei me disse que tinha 86 anos naquela época.

VOCÊ PODE DESCREVER UMA OU MAIS MEMÓRIAS OU FATOS SOBRE O-SENSEI ?

R: É muito difícil falar sobre O-Sensei. Exigiria mais espaço e tempo do que esta entrevista permite. As fotos em nosso livro falam melhor que palavras. Muita informação falsa sobre O-Sensei já foi espalhada por assim chamados Uchideshi, de forma a valorizarem as suas imagens. O que lembro mais vividamente é do meu primeiro encontro com ele, quando lhe entreguei a carta de recomendação de Takahashi Sensei e quando ele conversou comigo, em seu escritório particular, por cerca de meia hora. Quando parti do Japão, ele me escreveu um pergaminho e me autografou uma foto, a qual eu ainda guardo como um tesouro. O pergaminho se encontra agora na parede do Waialae Dojo, no Hawaii. Ele era um homem excepcional.

DURANTE AQUELA MEIA HORA DE CONVERSA, O QUE O-SENSEI QUIS SABER A SEU RESPEITO ? NO QUE ELE SE INTERESSAVA?

R: Ele explicou a sua idéia do Aikido, como ele achava que o Aikido poderia transformar toda a humanidade em uma família, todos iguais e todos livres. Para ele, não exista a idéia de um Aikido controlado pelos japoneses, porque os ocidentais não poderiam compreendê-lo. Ele esperava que nós, os seus estudantes, pudéssemos levar adiante esta mensagem e esta compreensão para t odos os cantos do mundo e que jamais houvesse uma outra guerra, igual à última. Ele falou sobre a loucura de países que se armavam com bombas nucleares e como era importante que todos compreendessem o princípio da não-violência.
Ele me disse que gostaria que eu compreendesse isto e me esforçasse em viver desta forma.

COMO FORAM TIRADAS AS FOTOS DO SEU LIVRO?

R: Eu falei sobre tudo isto no livro.

HAVIA MUITA DIFERENÇA ENTRE AS LIÇÕES DADAS POR O-SENSEI E PELOS OUTROS PROFESSORES?

R: Haviam grandes diferenças entre os professores do Hombu Dojo. Creio que tinha muito a ver com a idade.

PODE EXPLICAR ISTO?

R: As técnicas de Kisshomaru Waka Sensei eram fortes e rápidas como as de O-Sensei em sua juventude. A medida que ele envelhecia, os seus Waza se tornavam mais suaves. Não eram menos fortes, mas diferentes e muito difíceis de compreender.

QUAL A IMPORTÂNCIA DAS ARMAS NO TREINAMENTO DE O-SENSEI ?

R: Nos últimos anos da sua vida, O-Sensei não ensinava armas, mas a espada teve um papel muito importante no desenvolvimento da arte.

ALGUM VEZ ELE EXPLICOU PORQUE ELE NÃO ENSINAVA MAIS ARMAS?

R: Ele continuava a ensinar armas em Iwama. Em sua maior parte, o treinamento era em kata e eu penso que ele não se interessava muito por armas, como instrumentos de morte e destruição. Após escutar as suas palavras, como eu expliquei antes, creio que esta era a razão.

VOCÊ RECEBEU ALGUMA GRADUAÇÃO DE O-SENSEI ? COMO ISTO ACONTECEU ? ELE FEZ UM EXAME FORMAL ? ELE DAVA DIPLOMAS ?

R: Eu tenho um origami assinado por O-Sensei, mas os testes formais eram dirigidos por Tohei Sensei, que era o Instrutor-Chefe do Hombu Dojo, naquela época. Algumas vezes, O-Sensei dispensava graus sem exigir exames.

CREIO QUE A MAIORIA DOS LEITORES PENSAM EM ORIGAMI COMO A ARTE DE DOBRAR PAPEL. O QUE QUER DIZER REALMENTE ?

R: Bem, documentos de autenticação em esgrima também são chamados de Origami, assim qualquer certificado é um origami.

ALGUMA VEZ O-SENSEI MANIFESTOU DAR IMPORTÂNCIA ÀS GRADUAÇÕES?

R: Tenho a impressão que a graduação não significava muito para O-Sensei. Ele era um budoka à moda antiga e os graus só vieram a surgir após Jigoro Kano introduzi-los no Judo.
Os estudantes e os Instrutores de hoje em dia estão muito envolvidos com graduações. É como se houvesse uma corrida ou uma competição, em busca de quem tem mais faixas-pretas. Não creio que este seja o espírito do Aikido.

O QUE VOCÊ PENSA QUANTO AOS GRAUS NO AIKIDO?

R: Os graus não tem tanta importância como a evolução espiritual. Dar muita importância aos graus leva ao aumento do controle político e à competição de egos. É importante compreender que se uma pessoa serviu às artes marciais por 40 ou 50 anos, ela provavelmente é uma pessoa humana melhor que um godan de 25 anos, promovido politicamente. Acredito sinceramente que a habilidade e o crescimento espiritual são mais importantes que o grau e a graduação deveria refletir isto.

[confuso] EXISTEM GODAN DE 25 ANOS NOS ESTADOS UNIDOS?

Não. Eu estava sendo sarcástico.

VOCÊ E O SEU DOJO SÃO FILIADOS COM A ASSOCIAÇÃO DAS ARTES MARCIAIS DOS ESTADOS UNIDOS. ISTO SIGNIFICA QUE VOCÊ SE DISSOCIOU DO AIKIKAI?

Após as mortes de O-Sensei e do Doshu, não mantive mais conexões com o Aikikai. Há muita política. O Japão não pretende passar o controle do Aikido para não-japonêses, não importa quão competentes ou experientes eles sejam. Somos um dojo independente, filiado à USMA.
A USMA não determina políticas , nem interfere no funcionamento dos seus dojo filiados. Age estritamente como uma organização genérica, nos moldes do Budokan no Japão, ou seja, como uma União ou um sindicato.

QUE IMPORTÂNCIA O-SENSEI DAVA AO AIKIKAI?

Não creio que O-Sensei se interessasse muito pelo Aikikai. O seu interesse fundamental era com o Budo. Por isto, outras pessoas começaram a impor a sua influência criando a organização e as coisas começaram a se deteriorar. O rompimento de Tohei Sensei com o Hombu foi o primeiro resultado deste tipo de política.

VOCÊ CONHECE O NOVO DOSHU, UESHIBA MORITERU? VOCÊ PENSA QUE A POLÍTICA DO AIKIDO PODE MUDAR SOB A SUA DIREÇÃO ?

Não, eu não o conheço. Kisshomaru Doshu foi o meu último contato com o Hombu.
Sim, eu acredito que a política no Aikido vai piorar mais e mais e me parece que isto tudo diz respeito, basicamente, a dinheiro. Usam-se as graduações para controlar e premiar aqueles que são os melhores políticos, não os melhores aikidoka.

VOCÊ AINDA MANTEM CONTATO COM ALGUNS DOS SEUS COMPANHEIROS DE ESTUDO COM O-SENSEI?

Não, a vida nos levou para direções bem diferentes.

VI UMA FOTO DO SEU RANCHO TIRADA DE UM AVIÃO. VOCÊ TEM UM DOJO NO RANCHO?

Construimos um grande dojo tradicional numa cidadezinha próxima, perto do meu rancho.
O dojo que você viu na Sandokan Web Page é este dojo.

ALGO MAIS QUE VOCÊ GOSTARIA DE DIZER AOS SEUS LEITORES?

Se algum estudante alemão de Aikido vier a esta parte do Mundo, eu gostaria de convidá-lo a visitar o Sandokan Aikido Dojo e treinar conosco. Seria agradável continuar a construir a ponte de amizade, sobre a qual O-Sensei falava e oferece-la a todos os aikidoka sinceros de todo o Mundo.

Senhor von Krenner, muito obrigado pela entrevista e pelas fotos que você nos cedeu. Quanto a mim, foi um prazer 'conversar' consigo.

Markus Wiese

Em tempo: está entrevista foi retirada do site , e traduzida por Ubaldo Alcântara; Não é de nossa autoria , mas achamos interessante a experiência aqui relatada pelo sensei Von krenner e decidimos dividí-la com todos.